lagarta do pinheiro perigos
Isto e aquilo | Saúde

LAGARTA DO PINHEIRO: SAIBA QUAIS OS SINTOMAS NOS CÃES

Neste artigo alertamos para os cuidados que deve ter com o seu cão, na época da Lagarta do pinheiro ou processionária e os sintomas associados à intoxicação que os patudos apresentam.

As lagartas do pinheiro, ou processionárias movem-se em conjunto como que em procissão, despertando o interesse dos cães, que por sua vez, têm por hábito cheirar, morder e lamber objetos do chão. Tornando-as muitíssimo perigosas para os curiosos patudos .

Atenção! Estes são os sintomas mais frequentemente observados após o contacto com a lagarta do pinheiro nos cães:

– Inflamação da boca, língua e lábios;
– Inflamação da cavidade nasal;
– Inflamação das pálpebras e úlceras na córnea

Saiba mais sobre a lagarta do pinheiro ou processionária

A lagarta do pinheiro ou processionária, é um inseto que existe nas florestas de pinheiros do sul da Europa, incluindo Portugal. Tendo-se transformado numa verdadeira praga e o grande perigo do início do ano.

Cada lagarta está coberta com cerca de 600.000 pelos brancos urticantes, que causam reações alérgicas. Os seus pelos têm puas que contêm toxinas responsáveis pelo efeito irritante.

Ao sentirem-se ameaçadas, as lagartas do pinheiro podem disparar os seus pelos e, se existir vento, os pelos podem se espalhar a uma distância de 200 metros.

O ciclo da lagarta do pinheiro

Divide-se em duas fases:
fase adulta (ovos e lagartas em fase aérea) – enquanto vivem nas copas dos pinheiros
fase de pupa quando estão no solo subterradas (duração de 1 a 3 anos).

O desenvolvimento das lagartas está diretamente relacionado com as condições climáticas, podendo verificar-se um aceleramento ou retardamento dos estádios. Invernos secos e de céu descoberto aceleram os ciclos e nestes anos, a partir de dezembro / janeiro, já se começam a ver lagartas no chão.

Entre janeiro e maio, as lagartas abandonam os pinheiros para se enterrarem no solo e continuar o seu ciclo – esta é a fase perigosa, pois deslocam-se em fila às centenas.

ninhos da lagarta do pinheiro

Entre agosto e setembro nascem as lagartas que se agrupam em ninhos na copa dos pinheiros. Os ninhos da lagarta do pinheiro são esbranquiçados e acastanhados. 

As lagartas devido aos seus pelos urticantes, são bastante perigosas, pois injetam substâncias tóxicas nas mucosas e pele. Provocam reações alérgicas, que podem causar necroses e até serem fatais.

Se vir ninhos de lagarta do pinheiro, deve tomar todas as precauções e avisar as autoridades competentes para procederem à desinfestação.

Veja aqui os conselhos do Centro de Informação Antivenenos CIAV

Os sinais clínicos nos cães são variáveis e evoluem:

  • Inchaço do focinho;
  • Salivação excessiva;
  • Dificuldade em engolir;
  • Prurido intenso, sobretudo no focinho;
  • Urticária;
  • Alterações oculares.
  • Vómitos;
  • Apatia;
  • Perda de apetite;
  • Dificuldade em mastigar;
Cão com necroses na língua lagarta do pinheiro

A língua é normalmente o órgão mais afetado, pois é o que mais frequentemente entra em contacto com a lagarta, quando o cão ingere o inseto.

Inicialmente a língua aumenta de volume, torna-se azulada, posteriormente surgem áreas de necrose de cor amarelada ou preta. Os cães podem também desenvolver infeções na língua, lábios, e garganta. As zonas com necroses, surgem após 6 a 10 dias, depois do contacto com a lagarta.

Se afetarem os olhos, estes podem ficar com uma tonalidade azulada (devido ao edema), provoca hipersensibilidade à luz, prurido ocular,  úlceras na córnea e conjuntivite.

Os sinais clínicos sistémicos são mais raros, mas existem casos de tremores musculares, choque anafilático, coma e mesmo morte.

O que fazer caso o seu cão tenha contacto com a lagarta do pinheiro

Evite que o seu cão lamba as patas ou o pelo – pois poderá ter mais pelos da lagarta, que se podem alojar na zona do focinho. Tente também evitar que o seu patudo se coce, pois, a comichão tem tendência a aumentar e pode causar feridas.

Remova os pelos urticantes.
Use luvas e máscara e limpe a área afetada com água morna. Se existirem vários pelos da lagarta  visíveis no seu cão, coloque-o rapidamente na banheira e dê-lhe um banho completo com água morna.

Dirija-se ao seu médico veterinário o mais urgente possível.

Prevenção para evitar contacto com lagartas do pinheiro:

Mantenha-se afastado das áreas infestadas pela lagarta do pinheiro. Habitualmente encontram-se marcadas por sinais;

Caso não lhe seja possível evitar as zonas afetadas, mantenha o cão sempre à trela;

Evite que o seu cão cheire muito o chão, prevenindo assim, o possível contacto com as lagartas.